Publicidade

cms7
Capital

Filho de Jamil Name, deputado vai a condomínio visitar pai que foi preso

Além de deputado, médico da família também foi ao local para prestar ajuda e atendimento ao empresário

Via REDAÇÃO | Publicado por Redação | às 09:45:51

Deputado Jamilson Name (PDT) chegou ao condomínio do pai, Jamil Name (Foto: Henrique Kawaminami

O deputado Jamilson Name (PDT), filho do empresário Jamil Name, chegou neste momento ao condomínio Bela Vista, onde mora seu pai, local que tem a presença de policiais do Batalhão de Choque, Garras e agentes do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado).

Ele chegou ao banco de trás de um veículo, e na entrada do condomínio não quis falar com a imprensa. A informação é que existem mandatos de prisão contra o empresário Jamil Name e o filho dele, Jamil Name Filho, em função de uma investigação sobre a formação de milícia.

Além do deputado, também chegou ao local o médico cardiologista, João Josbic Neto, ele disse que é amigo e médico da família e foi para casa do Jamil Name, ficar a disposição para qualquer atendimento. “Fiquei sabendo do fato quando cheguei ao consultório e vim aqui prestar ajuda e assistência”.

O médico passou a informação que Jamil estava “muito nervoso” e por isto precisava de cuidados, já que se trata de um paciente cardíaco, diabético e hipertenso. “Por esta situação ele precisa de uma atenção especial”.

Ao deixar o local, o médico disse que “conferiu o pulso” do empresário e que ele já estava mais tranquilo. “Ele tem uma arritmia cardíaca, mas por enquanto está tudo controlado. Disse apenas que está querendo sair de tudo isto”.

Caso – O delegado Fabio Peró, titular do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assalto e Sequestros), afirmou que pai (Jamil Name) e filho (Jamil Name Filho) tiveram prisão preventiva, por tempo indeterminado.

Name, empresário conhecido em Campo Grande, é apontado como chefe de milícia. Na casa dele e do filho também são cumpridos mandados de busca e apreensão.

Além do Garras, policiais do Batalhão de Choque e agentes do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) estão nas ruas de Campo Grande para cumprir mandados na operação desencadeada como consequência de investigação sobre a formação de milícia.

Com informações Campo Grande News

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

cms0