{description}

Marcos Trad reage contra o Governador por ter defendido a redução da tarifa de ônibus urbano

O prefeito não gostou da declaração do governador e acha que Azambuja falou o que não sabe sobre dados técnicos.

O Prefeito Marcos Trad criticou Azambuja por falar “sem base técnica” sobre as cláusulas contratuais do município com o Consórcio Guaicurus quando (o governador) defendeu a redução da tarifa de ônibus. “Houve até a discussão entre Assembleia Legislativa e o governo de que isso, também, deve ter um impacto positivo na tarifa do ônibus urbano, até porque o óleo diesel tem, dentro da composição de preço, é um fator primordial nesse preço”, teria declarado o governador.

Azambuja defendeu a discussão sobre assunto com a Câmara Municipal para beneficiar os usuários de ônibus urbanos em Campo Grande. “É preciso que, a partir desse esforço feito pelo governo federal (redução do preço do diesel), com envolvido das instituições, nós possamos também estar discutindo e reavaliando junto com a Câmara Municipal os impactos positivos dentro da tarifa do transporte urbano”, ponderou.

O prefeito não gostou da declaração do governador e acha que Azambuja falou o que não sabe sobre dados técnicos.

“Quando foi feito o cálculo para que a tarifa fosse fixada em R$ 3,70, o diesel estava R$ 3,13. Hoje, o diesel subiu muito nesse último tempo e em nenhum momento as empresas falaram em repassar o aumento da tarifa para que houvesse reequilíbrio do contrato”, explicou. 

Além disso, acrescentou Marcos Trad, “o dado técnico que a gente utiliza do valor do óleo diesel é o da Agência Nacional do Petróleo (ANP), que é bem menor do que o valor cobrado aqui pelo governo do Estado”. Diante dessa polêmica, o prefeito quer acreditar que “o governador falou sem fundamentação técnica dos dados que o contrato [com Consórcio Guaicurus] prevê”. Para ele, “se a gente fosse apenas pelo variável do óleo diesel cobrado pelo governo do Estado, a tarifa de ônibus seria bem mais cara”.

Depois de criticar, o prefeito disse não ter gerado “mal-estar” a sua contestação porque “Azambuja voltou atrás”. Marcos Trad afirmou ter ouvido o governador admitir que errou em sua avaliação. “Ele foi muito claro e eu estava do lado. Ele disse: nós erramos, o impacto não é esse e cabe às prefeituras saberem disso”, contou. “Praticamente ele [Azambuja] desdisse sobre isso do que foi falado anteriormente”, ressaltou.

O prefeito criticou também o vereador Vinicius Siqueira (DEM), por promover enxurrada de ações na Justiça contra a sua administração. “Aliás, todas as ações que o vereador Vinicius ingressou contra a prefeitura, todas elas foram julgadas em preliminar extinguindo o feito (ações) ou por incompetência, ou por impossibilidade jurídica. A última caiu em cinco ou sete dias atrás. Todas elas foram julgadas improcedentes”, afirmou.

Para dirimir a polêmica da redução do óleo diesel, o prefeito desafiou os vereadores a um debate técnico sobre a questão da tarifa do ônibus.

Com informações Correio do Estado