Publicidade

Anuncie
CapitalGeral

“Sociedade faz sociedade”

"Sociedade faz sociedade"

Via José Passarelli | Publicado por Alcina Reis | às 01:38:04

Não foram nossos intestinos diminutos e grande cérebro que surgiram graças aos cozidos. A vida em sociedade foi desenvolvida por causa- e ao redor- da mesa. A primeira mudança social que a comida cozida trouxe foi a economia de tempo. Sim, mastigar é um negócio demorado. Basta ver como é a rotina dos macacos.

Os chimpanzés do Parque Nacional do Gombe, na Tanzânia, mostrados no documentário da 'National Geographic', com seus meros 30 quilos e uma dieta de frutas silvestres e folhas, passam mais de 6 horas por dia mastigando alimentos para extrair nutrientes. Depois, ficam outras tantas horas fazendo digestão.
A maior rapidez na mastigação e digestão deu a nossos antepassados mais tempo e oportunidade de ficar juntos. O cozimento uniu as pessoas ao redor do fogo- que também protegia contra o frio e predadores- e estimulou a socialização, permitindo que se sentissem mais confortáveis umas com as outras. Isso reduziu a agressividade. Por mais que sua família possa brigar à mesa, saiba que nenhum animal costuma fazer refeições tão amigavelmente e partilhando a comida como nós.
Além disso, o cozimento pode ter sido responsável por fortalecer a união entre homem e mulher, que mais tarde daria origem ao casamento.Cozinhar demanda tempo e trabalho e expõe a cozinheira solitária a ladrões famintos. Laços conjugais resolviam o problema e resultavam em vantagem para os dois lados. A mulher não teria os alimentos roubados, e marido garantia uma refeição vespertina quando voltasse para a casa- e ambos teriam certeza de um parceiro sexual.

Ainda assim, a teoria do cozimento não explica tudo.

Mesmo assim, tem-se um longo caminho a percorrer, mas talvez agora ele tenha mais placas indicando a direção a tomar.

Por enquanto, elas apontam para nossa mesa.

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

Campanha