Publicidade

PMCG
Polícia

Polícia indicia três pela morte de pecuarista; até pet foi tirado de cena

Via Redação | Publicado por Administrador | às 17:37:14

O trio apontado como responsável pela morte da pecuarista Andreia Aquino Flores, de 38 anos, arquitetou o plano de roubo no dia anterior ao crime, cometido no dia 28 de julho no condomínio de luxo onde a vítima morava em Campo Grande. A conclusão do inquérito feito pelas equipes da DERF (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) aconteceu nesta segunda-feira (8).

Lucimara Rosa Neves, de 43 anos, e sua filha Jessica Neves Antunes, de 24 anos, foram presas no mesmo dia em que ocorreu o crime. Pedro Benhur Ciardulo, de 21 anos, foi preso dias depois se escondendo em uma casa de reabilitação na cidade de Dourados, a 225 quilômetros da capital sul-mato-grossense.

Conforme as informações da Polícia Civil, o trio foi indiciado pelo crime de latrocínio consumado e o plano de execução havia sido arquitetado no dia anterior, tendo Lucimara, inclusive, retirado o animal de estimação de Andreia do condomínio, na manhã do dia 28, para evitar maiores problemas.

O intuito da ação criminosa era constranger e ameaçar a pecuarista para que ela fizesse uma transferência bancária de R$ 50 mil, no qual seria depositada na conta de Lucimara - elencada como mentora do plano - e posteriormente, sua filha Jessica iria sacar os valores com o pretexto de que teria sido obrigada por supostos “assaltantes”.

Caso o crime tivesse acontecido, Lucimara receberia R$ 30 mil, enquanto Jessica e Pedro ficariam com R$ 10 mil. Porém, como Andreia teria reagido à situação, ela foi morta pelo jovem asfixiada, oportunidade em que o trio roubou um Macbook, dois celulares da marca iPhone e uma caixa de som da marca JBL, que somadas, foram avaliadas em R$ 15,5 mil.

Os objetos estavam escondidos na casa de Lucimara em uma fossa. Na investigação, os policiais da DERF encontraram duas carcaças dos celulares da vítima, além de pedaços de fita supertape usadas para amarrar Andreia. Com Pedro estava o notebook e a caixa de som, além de uma calça, um casaco, um boné e uma faca usada no crime.

A DERF concluiu também que todo o plano foi arquitetado unicamente por Lucimara, tendo usado a sua filha e o genro como ‘comparsas’. A irmã de Andreia não teria participado de qualquer ação, de acordo com o inquérito concluído pelo delegado-adjunto Francis Flávio Freire.

O documento foi encaminhado ao Poder Judiciário para ser tomada as providências.

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest