Capital

Para impermeabilizar tanques, governo abre 4ª licitação do Aquário do Pantanal

Obra começou em 2011, mas ficou parada por cinco anos

Via Redação | Publicado por Administrador | às 21:57:41

A Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) de Mato Grosso do Sul abriu nova licitação para concluir as obras do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna do Pantanal, o Aquário do Pantanal. O aviso de abertura foi publicado na edição desta quinta-feira (13) do Diário Oficial Eletrônico (DOE).

Esse já é o 4° processo licitatório lançado após a retomada das obras, que aconteceu em novembro de 2019. Desta vez, o certame visa contratar empresa para fazer a impermeabilização dos tanques, que garantirá a vedação dos aquários, evitando infiltrações e vazamentos.

Além da impermeabilização dos tanques, outras três licitações para a conclusão das obras já foram lançadas. Hoje, já estão sendo executados os serviços de substituição dos vidros e a conclusão da cobertura metálica. Já os trabalhos para a conclusão do revestimento de alumínio composto (forro e monocapa) começarão assim que os trâmites do certame aberto sejam concluídos.

Licitação será por menor preço, ou seja, vence a empresa que oferecer o custo mais baixo - Valdenir Rezende/Arquivo/Correio do Estado

HISTÓRICO

Iniciada em 2011, a obra estava parada desde 2014 e sofreu com o desgaste em decorrência do tempo e do abandono. Orçada inicialmente em R$ 84.749.754,23, a obra inacabada já consumiu mais de R$ 240 milhões do cofre do governo do Estado.

Em um novo levantamento, realizado no ano passado, foi apontado que seriam necessários R$ 40 milhões para recuperar o que foi danificado com o tempo e concluir a construção.

“Sobre investimentos anteriores, a atual gestão do Governo do Estado não se pronuncia e se restringe a falar apenas dos valores de retomada de obra”, diz nota da Agesul divulgada neste mês.

Instalado no Parque das Nações Indígenas o centro de pesquisa contará com 32 tanques (24 internos e oito externos) da ictiofauna pantaneira (peixes e répteis), mais de 5,4 milhões de litros de água e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat.

O objetivo é fazer do espaço um centro de referência em pesquisas e, para isso, o empreendimento também terá um museu interativo, biblioteca, auditório com capacidade para 250 pessoas, sala de exposição e laboratórios de pesquisa para estudantes, cientistas e pesquisadores.

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest