Capital

Enfermagem de MS paralisa por 24 horas em protesto contra decisão do STF de suspender piso

Via Redação | Publicado por Administrador | às 18:25:32

A partir das 7h de quarta-feira (20), trabalhadores da enfermagem de todo o país paralisam as atividades por 24 horas em ato de protesto contra a decisão do Supremo Tribunal Federal que suspendeu a aplicação do piso salarial do setor no Brasil por 60 dias. Trabalhadores de todo o Mato Grosso do Sul devem aderir ao protesto.

De acordo com o Siems (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul), serão realizadas assembleias permanentes por 24h. A primeira do dia será às 8h na Rua Eduardo Santos Pereira, em frente à Santa Casa, em Campo Grande.

Em Campo Grande, há 4.405 enfermeiros, 8.706 técnicos em enfermagem e 1.097 auxiliares e os efeitos da paralisação devem ser sentidos em todos os hospitais do Estado. Na decisão o STF alegou que não há garantia sobre a fonte de pagamento do piso salarial.

O Cofen (Conselho Federal de Enfermagem) afirma que todos os estudos de impactos orçamentários foram devidamente apresentados e debatidos em todas as esferas e, justamente por ser considerável viável a aplicação, a Lei foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em 4 de agosto de 2022.

Protesto e paralisação também na Santa Casa

Trabalhadores da enfermagem da Santa Casa pedem um reajuste anual e fizeram um protesto nesta terça-feira (20). Eles devem paralisar o atendimento amanhã (21) até o resultado da reunião entre a Prefeitura e o Ministério Público de Mato Grosso do Sul, que inicia às 14 horas, sobre o impasse do reajuste anual de salários dos funcionários. Os outros 50% do quadro de funcionários irá trabalhar normalmente.

De acordo com a prefeitura, o contrato mensal com a Santa Casa passou de R$ 23 milhões para R$ 28 milhões, o que seria suficiente para pagar o reajuste de salário dos funcionários estimado em R$ 1,8 milhão. (Midiamax)

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest