Publicidade

Aguas
Surtei

É passado da hora de acabar com os “Cafetões e Prostitutos” da imprensa

Via | Publicado por Administrador | às 11:36:12

Não é de hoje que vemos fakes, notícias tendenciosas e jogadas em alguns meios de comunicação. Por trás de todo esse lixo de desinformações acreditem caros leitores ou tem um (a) “CAFETÃO ou PROSTITUTO”, claro que longe de mim ofender os cafetões e prostitutos, mas vamos ao caso.

Cada vez mais, os veículos estão tirando o prazer do verdadeiro jornalista em exercer a profissão, aquela com a aplicação dos valores e ideias aprendidos nos livros, nas palestras, nos cursos, na faculdade… Aliás, faculdade, hoje em dia, é algo totalmente desnecessário para a função. O ponto a que quero chegar e o que tenho observado é que o jornalismo, infelizmente, se transformou em um exercício desvalorizado.

Vemos muitas mentiras “destiladas” para confundir o leitor e a grande maioria dessas mentiras são contadas por “prostitutos” que se quer tem o segundo grau de formação e muitas vezes patrocinados pelos “cafetões”que tem grande interesse de fazer com que uma mentira se torne verdade. Isso quando não é o próprio prostituto que deixa de ter uma “TETA” e escracha sua veia com a conhecida mídia marrom.

Claro que essas criaturas viram motivos de zombaria, pois se até poucos dias falavam tão bem de alguém que chegava dar nojo com tanto mel e do dia pra noite encorporam o “exu distruição”, fazendo coisas do tipo - Em uma publicação antiga o “Cara” é o mlhor do mundo na atual não serve pra nada, esse mesmo Cara que antes era correto, justo, pessoa do bem e de família atualmente passa a ser o próprio “Coronavírus” de uma sociedade.

E não precisa ser um Albert Einstein, pra entender que o desespero tomou conta do sujeito e fica muitooo feiooo isso!

O verdadeiro profissional da imprensa trabalha muito mais que as horas estabelecidas, pois está sempre à disposição de seus leitores e clientes. Não recebe adicionais por isso, exerce mais de uma função (além de jornalista, é publicitário, marqueteiro, assessor de comunicação e de imprensa, redator, editor, recepcionista, secretário e por aí vai) e, o pior de tudo, tem que se render às cobranças e vendas comerciais de anunciantes e diretores sem visão, que acreditam estar fazendo o melhor negócio.

Agora respondam essa, “quem é que tem grandes contratos e é bem pago”? O Jornalista ou o Prostituto?

Tenho comentado sobre isso a tempos com alguns colegas, e vejo que a cada dia aumenta mais e também vejo leitores e até mesmo esses Cafetões baterem no peito, dizendo estarem estarrecidos com tais publicações, que concerteza só tendem a aumentar uma vez que teremos eleições ano que vem.

#FalaSério

É decepcionante ver isso acontecer. Sinceramente, não sei dizer qual a saída ou a resposta para esta situação. Por isso, fica aqui um apelo, um pedido em nome da classe de jornalistas que realmente fazem um trabalho sério

“Autoridades tomem providências com essa situação, eliminem o mal pela raiz, para acabar com fakes e todas essas desinformações é preciso respeitar a imprensa de verdade e excluir esses prostitutos, porque as verdades vem à tona e se vocês continuarem alheios a esse fato, vão continuar a ver seus nomes por eles deteriorados”

Diga Não à prostituição do jornalismo!

*Caso você encontre semelhança com algum fato real, Não é mera coincidência!”

Alcina Reis

DRT 1309MS

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest