Publicidade

Campo
Lugar de Mulher e na Política

Comemorar? O que?

Via | Publicado por Administrador | às 08:26:50

Comemorar o que?

8 de março não é uma data para comemorar. É um dia marcado por luta, por resistência. É data para lembrar dos séculos de sofrimento e superação que muitas de nós temos que a cada dia enfrentar mais e mais barreiras, pela sobrevivência. O sofrimento diário. A dor que existe e é presente em pleno século 21.

Hoje, é dia de luto por aquelas que, por alguma, ou nenhuma na maioria das vezes, razão não resistiram para contar suas histórias.

Por aquelas que estão demasiadamente feridas para sequer dar um sorriso.

Por aquelas que, mesmo com as marcas que o machismo enfrenta, têm coragem de levantar a cabeça e a voz por todas nós.

Hoje é mais um dia marcado para a nossa guerra: pelo respeito, pela atenção, pela igualdade, pela vida, pelas escolhas, pela liberdade, por nós.

Hoje não queremos mensagens, rosas ou flores.

Nós só queremos uma sociedade mais justa, respeitosa, companheira. Mas, principalmente, com mais ação e comprometimento com a tal fala igualitária que escutamos das bocas de muitos hipócritas que nos desejam um feliz dia da mulher, mas que o resto do ano inteiro faz o extremo oposto.

O machismo já começa tendo um “Dia da Mulher”

É incrível que tenhamos um dia dedicado a nós, que tanto lutamos. Mas também significa que estamos longe de termos a nossa tão almejada igualdade.

Se temos somente este dia dedicado a nós, o resto dos 364 dias do ano são para quem?

Todo dia é nosso dia, sim! Assim como todo dia é dia do homem, das mães, dos pais, dos avós e dos filhos.

Esta data nos faz lembrar o quanto ainda somos submetidas a essa cultura.

Eu faço silêncio, hoje, por todas nós.

Mas também continuarei gritando por todas nós.

E digo: “Mulheres tenham coragem, assumam o poder de verdade, sejam candidatas, disputem as eleições e vençam!”

Enquanto continuarmos submetidas e sob o comando dos homens, não teremos a tão esperada igualdade!

E Parabéns sim! A você que assim como eu consegue sobreviver nessa falsa sociedade que nos vê apenas como coadjuvantes de um cenário onde somos e sempre seremos as protagonistas.

Faço aqui um desafio aos dirigentes partidários, para as eleições: “Não tenham medo de apostar em mulheres fortes, abram espaço à elas, permitam que as mulheres possam protagonizar uma eleição.”

MS tem muitas mulheres valorosas e capacitadas, e que têm o direito de disputar de forma igualitária a executiva dessa eleição!

E para terminar, quais são mesmo as candidatas que teremos para prefeita?


Alcina Reis

Diretora e jornalista

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest