Mundo

Brasileira é presa nos EUA por ter participado de invasão ao Capitólio

Via Redação | Publicado por Administrador | às 09:27:37

A brasileira Leticia Vilhena Ferreira foi presa nos EUA acusada de participar da invasão do Capitólio, que ocorreu em 6 de janeiro do ano passado durante protesto contra a derrota eleitoral do ex-presidente Donald Trump. A prisão foi realizada pelo FBI, que desde então investiga o ataque e identifica os invasores do prédio. O R7 não conseguiu contato com a defesa da brasileira.

No pedido da prisão, as autoridades afirmam que chegaram à brasileira depois que uma testemunha do inquérito disse ter recebido um vídeo da invasão de um contato chamado de “Leticia”. A testemunha passou ainda o número de celular da brasileira.

Com essa informação, os policiais encontraram a residência de Leticia, que fica no estado de Illinois, a cerca de 1.129 km de distância de Washignton. A brasileira morava no local com um visto de trabalho. Em abril de 2021, ela foi entrevistada no local, admitiu que invadiu o Capitólio junto com o grupo pró-Trump e colaborou com vídeos e fotos da invasão.

Ainda de acordo com as investigações, a brasileira não votou nas eleições americanas e foi à Washington para acompanhar o discurso de Trump, derrotado nas eleições e prestes a entregar o cargo a Joe Biden. Ela não conseguiu escutar ou ver o ex-presidente e seguiu a multidão, que marchava em direção ao Capitólio antes mesmo do discurso acabar.

Em mensagens interceptadas pelo FBI, Leticia mostra arrependimento de ter acompanhado o gurpo invasor. “Você acha que eles vão atrás de todas as pessoas que andaram na área do Capitólio?”, pergunta um dia depois do episódio a uma outra pessoa, que não foi identificada.

“Não fique triste. Esteja preparada. Estamos todos f******. Sim eles irão atrás dessas pessoas”, responde o destinatário da mensagem. “Eu fui tão irresponsável de andar até lá. Eu estava com essa família legal. Este cavalheiro e dois filhos. Caminhada pacífica”, completa Leticia nas mensagens. Veja o resto da conversa traduzida do inglês:

Pessoa não identificada - Se tivessem câmeras, eles irão atrás deles.

Leticia - Tinham câmeras.

Pessoa não identificada - Quanto tempo depois do arrombamento você entrou lá?

Leticia - Eu não sei. Eu não vi quem estava invadindo. Eu só estava andando.

Pessoa não identificada - Ok você provavelmente está ok. Acho que eles estão mais preocupados com as pessoas que romperam as barreiras.

Leticia - Acabei de perceber que tinha barreiras até no gramado do parque. Porque eu li depois.

Pessoa não identificada - Tinham algumas pessoas lutando contra a polícia.

Leticia - Eu sou tão irresponsável. Ontem foi incrível.

Pessoa não identificada - Foi visível de longe

A invasão ao Capitólio ocorreu no dia 6 de janeiro de 2021, durante sessão conjunta do Congresso americano que iria confirmar a vitória de Joe Biden na eleição presidencial de novembro. Apoiadores radicais invadiram a área por não aceitar a derrota de Trump, que acusava a eleição de fraude — sem apresentar evidências.

As imagens de invasores armados no centro legislativo da maior potência militar do mundo chocaram o mundo. Houve conflito com as forças armadas dos EUA, e cinco pessoas morreram no episódio. Desde então, as investigações do FBI prenderam mais de 750 pessoas em quase todos os 50 estados dos EUA.

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest