Publicidade

Anuncie
GOLPE

Vídeo: De balconista a falso milionário, preso da Kriptacoin vendia sonhos

Urandy João de Oliveira é apontado pelo Ministério Público como garoto-propaganda da moeda digital que enganou 40 mil pessoas no país

Via Redação | Publicado por Alcina Reis | às 08:28:28

No finalzinho de 2016, ‘a gente encontremos’ (sic) a Wall Street Corporate. E, de lá para cá, vem trabalhando com muita força, brilho nos olhos, força na voz e no coração. Dentro de seis meses de trabalho, a nossa vida mudou da água para o vinho. Com seis meses de trabalho, alcancei o primeiro milhão [de reais] de muitos" Urandy João de Oliveira, garoto-propaganda da Wall Street Corporate

Entre os personagens ligados ao esquema da moeda virtual Kriptacoin, um chamou atenção dos investigadores: Urandy João de Oliveira, 43 anos. O grupo criminoso transformou o ex-balconista de padaria em executivo milionário da Wall Street Corporate, empresa responsável pela Kriptacoin. A história de Urandy foi forjada para atrair – e enganar – investidores. Hoje, ele está no Complexo Penitenciário da Papuda, pois foi um dos presos na Operação Patrick, deflagrada em 21 de setembro.

A ascensão meteórica das finanças de Urandy – que não passava de uma farsa – surpreendeu e encantou milhares de investidores da moeda digital, mas não a Polícia Civil e o Ministério Público do DF e Territórios. O Metrópolesteve acesso à denúncia oferecida pela 1ª Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos ao Consumidor (Prodecon) à 8ª Vara Criminal do DF. No documento, o homem é apontado como um dos garotos-propaganda da empresa que enganou cerca de 40 mil pessoas e movimentou mais de R$ 250 milhões.

Segundo a denúncia entregue pelo promotor de justiça Paulo Roberto Binicheski, Urandy atuou em conluio com a empresa Wall Street Corporate realizando palestras e eventos, e atraindo potenciais investidores para a Kriptacoin. O “vendedor de sonhos” da organização criminosa conta, em vídeo, que largou a profissão de balconista e, em apenas seis meses, embolsou R$ 1,2 milhão como executivo da companhia.

“Urandy induziu investidores ao erro, no engodo de atrair milhares de novos adeptos ao sistema e alavancar os lucros dos idealizadores, ao veicular em vídeo divulgado nas redes sociais que teria auferido ganhos pessoais milionários”, diz trecho da denúncia.

No finalzinho de 2016, ‘a gente encontremos’ (sic) a Wall Street Corporate. E, de lá para cá, vem trabalhando com muita força, brilho nos olhos, força na voz e no coração. Dentro de seis meses de trabalho, a nossa vida mudou da água para o vinho. Com seis meses de trabalho, alcancei o primeiro milhão [de reais] de muitos”

Urandy reproduziu seu “discurso vencedor” país afora. Ele fez palestras, registradas em fotos e vídeos, em municípios como Goiânia (GO), Formosa (GO), Luís Eduardo Magalhães (BA) e Patos de Minas (MG). A promessa de ganhos diários de 1% seduziu milhares de pessoas, que lotaram salas de eventos em busca de uma fórmula para o lucro fácil.


O ex-balconista, nascido em Brejolândia (BA), conta no vídeo que veio para Brasília aos 18 anos e trabalhou em uma padaria até os 35. Ele decidiu “fazer algo a mais”, por estar preocupado com sua situação financeira. Atuou em uma empresa de marketing até 2016, quando migrou para a Wall Street Corporate, onde se tornou “laranja” da companhia.

Agora, aguarda a Justiça se pronunciar sobre a peça apresentada pelo MPDFT. O Ministério Público denunciou 16 pessoas. Entre elas Urandy, acusado de organização criminosa; estelionato; crimes contra a economia popular; ocultação de bens, direitos e valores.

Assista ao vídeo que conta a história de Urandy Oliveira:

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

vermelho