Publicidade

Anuncie
PROCON

Procon-MS faz pesquisa de fraldas descartáveis e detecta queda nos preços de 11 produtos

No cômputo dos valores por estabelecimento o Atacadão – que teve 30 produtos cotados – apresentou os 20 mais baratos enquanto a Farmácia Preço Popular foi a que teve maior número de itens, 20 no total, com preços mais elevados.

Via redação | Publicado por Redação | às 05:00:23

Integrantes do grupo de pesquisas da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) realizaram verificação de preços de fraldas descartáveis em 21 estabelecimentos comerciais de Campo Grande no período de 7 a 15 de março, tendo detectado diferenças sensíveis no valor de comercialização de um mesmo produto e da mesma marca em vários pontos de venda.

A diferença, em níveis percentuais, chega a 222,13% no caso do pacote com 36 fraldas descartáveis roupinha Huggies Supreme, tamanho M, que em um estabelecimento é vendido por R$ 23,90 em outro o mesmo produto custa R$ 76,99.

Nesta ação foram pesquisados 350 itens em 21 estabelecimentos, dos quais nove são farmácias e o restante supermercados. Do total averiguado, 103 produtos foram listados para divulgação. Isto porque para o padrão da pesquisa somente é considerada a existência de três ou mais produtos elencados para o levantamento em cada estabelecimento comercial.

Levando-se em consideração a quantidade de produtos com menor preço é possível deduzir que é mais conveniente adquirir fraldas nos supermercados, uma vez que estes apresentam um total de 70 itens mais baratos enquanto nas mesmas condições a pesquisa nas farmácias detectou 40 produtos com preços menores.

Vale ressaltar que pesquisa idêntica foi realizada no ano passado, oportunidade em que foi possível verificar que 11 produtos sofreram redução de até 20,74 % nos preços, como é o caso da fralda Cremer Disney Baby. Entretanto, foi registrado aumento de 95,51% no preço da fralda Mamipoko.

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

vermelho