Publicidade

Anuncie
Brasília

Preso do Complexo da Papuda morre com suspeita de leptospirose

Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe) reconhece infestação de roedores e disse que já solicitou dedetização nos presídios

Via Redação | Publicado por Redação | às 16:27:35

O preso Jorge Wellington Braga de Sousa Silva, 37 anos, que cumpria pena na Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I), localizada no Complexo da Papuda, morreu na madrugada desse domingo (28/04/2019), com suspeita de ter contraído leptospirose. Ele chegou a ser internado, mas não resistiu. A doença infecciosa é causada por bactéria e transmitida ao ser humano pela urina de roedores.

Silva estava preso desde 2016 e respondia por estupro. “Ele passou mal durante a noite e foi internado na quinta-feira (25/04/2019). Teve parada cardiorrespiratória, os rins não funcionavam mais e ele estava respirando com ajuda de aparelhos. No hospital, constataram a leptospirose”, detalhou o advogado do interno, Adriano dos Santos Sousa Silva. O enterro deve ocorrer ainda nesta segunda (29/04/2019). O laudo que vai bater o martelo sobre a causa da morte será feito pelo Instituto Médico Legal (IML) e ficará pronto em até 30 dias.

Na solicitação de necropsia feita por uma médica do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), a especialista relata que o paciente morreu com suspeita de ter contraído a doença. Ele começou a vomitar, entre outros sintomas, após ter contato com a água da chuva no presídio.

O Metrópoles também teve acesso a fotos e vídeos de roedores no Complexo da Papuda. Em um dos registros, um roedor caminha pelo escorredor de louças dentro do alojamento dos agentes penitenciários.

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

Campanha