Publicidade

campanha
Artigos

“Nos Arcos da Lapa não mais”

José Passarelli

Via José Passarelli | Publicado por Alcina Reis | às 01:04:32

No Rio de Janeiro, o xixi esburacou os Arcos da Lapa, cujo conserto custou R$ 2,5 milhões de reais, e os pilares de um elevado no Bairro de São Cristovão.
A urina é um líquido tão devastador por causa de seu alto teor de acidez. Ao atingir o concreto armado, ela reage com o cimento e elimina seus dois componentes alcalinos: o cálcio e o magnésio. Sem eles, aos poucos, a estrutura vai adquirindo uma consistência porosa, que permite a penetração do ar, da chuva, da maresia-e de mais urina.

O desgaste alcança até mesmo os vergalhões de aço CA-50 (Concreto Armado, resistente à compressão de 5.000 kg/centímetro quadrado), que também não resistem a tanto xixi. Com o tempo, o metal se dilata e se fragiliza, podendo levar a estrutura ao colapso. Há casos em que o vergalhão ficou dez vezes mais inchado do que quando era novo. Em casos menos graves, é possível reparar as áreas danificadas.


A obra começa com a retirada do cimento apodrecido e a limpeza dos vergalhões. Depois, toda área é reforçada com uma nova camada de concreto. A parte afetada é revestida com uma camada de epóxi, que impermeabiliza o local pelo prazo de dez anos.”

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

Campanha