Publicidade

Anuncie
Estado de MS

MS: governo mudas regras para concursos da PC e dos bombeiros

Alteração da lei permite aproveitamento de excedentes e dá mais direito às candidatas grávidas

Via Redação | Publicado por Redação | às 17:24:30

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), sancionou lei que altera as regras dos concursos para oficiais e soldados da Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. A partir das próximas seleções, candidatos habilitados nas provas de conhecimento poderão ser aproveitados e candidatas grávidas não serão consideradas inaptas a partir dos testes físicos. O documento foi publicado no Diário Oficial do estado na semana passada.

A partir de agora, os aprovados que não forem convocados no prazo de 12 meses após o resultado final do teste de aptidão física terão que refazer os testes físicos e também os exames médicos e avaliação de vida pregressa. Se não houver candidatos habilitados, serão chamados aqueles que passaram nas provas de conhecimento — objetivas e discursivas — para essas fases de avaliação. A possibilidade se mantém por todo prazo de validade do concurso.

Outra mudança significativa é direcionada às candidatas grávidas. Até então, elas eram consideradas inaptas e desclassificadas do teste físico. Com o novo texto, podem adiar a realização dos exames por até 12 meses, contando a partir da data do fim do período gestacional.

O adiamento com os mesmos critérios também pode ser solicitado por aquelas que têm filhos com idade inferior a seis meses no período do teste físico, previsto no cronograma do concurso. Para ter direito a uma nova data, será preciso preencher um requerimento e apresentar um laudo médico que comprove o estado de saúde.

As gestantes que estiverem no curso de formação também serão preservadas. A matrícula será trancada e a vaga garantida para uma próxima turma. Durante o curso há atividades que exigem grande esforço, o que pode ocasionar prejuízos às mulheres em período gestacional.

Lei Federal

Em março, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou o Projeto de Lei 83/2018 que permite a todas as concorrentes grávidas a adiarem a realização da prova física. O texto estipula um prazo de 30 a 90 dias após o parto para remarcação, independente da data do início da gravidez, da condição física da mulher e da exigência da avaliação ou do local de realização da prova.

O autor, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), argumentou que o Poder Público tem responsabilidade em garantir que gestantes e filhos não sejam prejudicados nos processos seletivos. O relator da matéria, Lasier Martins (Pode-RS), defendeu que o projeto tem por objetivo preservar a isonomia entre os candidatos. O projeto seguiu para avaliação na Câmara dos Deputados.

Com informações Metrópoles

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

vermelho