Publicidade

PMCG
Agronegócio

Com compradores cautelosos no mercado físico, contratos futuros para o boi gordo encerram com quedas na B3

Após semanas de volatilidade no mercado futuro e no físico, o mercado do boi gordo está operando com cautela

Via Redação | Publicado por Mariane Duarte | às 18:54:55

Os vencimentos futuros para o boi gordo finalizaram a sessão desta segunda-feira (02) do lado negativo da Bolsa Brasileira (B3). O contrato Dezembro/19 terminou o dia com uma desvalorização de 0,93% e cotado a R$ 212,00/@. O Janeiro/20 está precificado a R$ 204,50/@ e registrou um recuo de 1,04%, enquanto, o Fevereiro/20 encerrou a R$ 200,30/@ e com uma queda de 1,33%.

Após semanas de volatilidade tanto no mercado futuro quanto físico, o mercado do boi gordo está operando com cautela. “Esse cenário já era esperado, tendo em vista, entre outras razões, a dificuldade do escoamento de carne no mercado interno. Com as escalas um pouco melhores, os compradores estão menos agressivos e, em muitos casos, oferecendo preços menores pelas boiadas”, ressaltou a Scot Consultoria.

O mercado físico do boi gordo abre a semana com baixo volume de negócios em meio a uma fraca atuação de ambas as pontas. “As indústrias frigoríficas continuaram a limitar suas compras gado mantendo a cautela diante das recentes quedas de preços no mercado atacado, o qual ainda não registra um aumento significativo de vendas como se esperava para este período”, destacou a Informa Economics FNP.

De acordo com a Radar Investimentos, a dificuldade de compra por parte dos frigoríficos é vigente visto que na última semana, o Indicador Esalq/USP fechou na máxima histórica em R$ 231,35/@, à vista. “As indústrias iniciaram testes de compras com preços na mesma base ou até ligeiramente abaixo em meados da semana anterior, porém até o momento, as escalas de abate não evoluíram”, informou a Radar.

Confira:

No aplicativo AgroBrazil, os participantes informaram negócios para o animal que atende exportação na região de Pontes e Lacerda/MT de R$ 215,00, à prazo com trinta dias para pagar. No município de Londrina/PR, ocorreu um negócio para o boi comum de R$ 225,00/@, à vista e com data para o abate em 09 de dezembro.

Em Tietê/Sp, o valor negociado para o animal com padrão exportação foi de R$ 220,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data para o abate em 10 de dezembro. Na região de Presidente Prudente, ocorreu um negócio pontual para a novilha com destino a China de R$ 240,00/@,à prazo com trinta dias para pagar e data para abater em 04 de dezembro.

Carne

No levantamento do aplicativo Agrobrazil, o boi casado em São Paulo está precificado ao redor de R$ 15,00/kg e teve um recuo de R$ 0,15/kg. No caso da vaca casada, o preço teve um aumento de R$ 0,15 e está cotada a R$ 14,80/kg.

A Scot Consultoria apontou que as referências para o Boi Capão giram em torno de R$ 15,75/kg e o boi inteiro está próximo de R$ 15,57/kg.

Exportação

O volume embarcado de carne bovina in natura foi de 155,6 mil toneladas no mês de novembro, conforme divulgou a Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) nesta segunda-feira (02). O ritmo exportado teve uma retração de 8,74% frente ao mês de outubro que exportou 170,5 mil toneladas.

O serviço sanitário da Rússia retirou na última sexta-feira às restrições as industrias frigoríficas de bovinos da JBS na região de Colíder/MT e da Minerva no município de Rolim de Moura/RO. Diante desse cenário, a JBS poderá exportar carne bovina para a Rússia e a Minerva já contava com uma planta autorizada em outra localidade.

Com informações Notícias Agrícolas

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

Campanha