Publicidade

campanha
Presidente Jair Bolsonaro

Bolsonaro flexibiliza lei sobre rodeios e desfila em cavalo em Barretos

Decreto define que compete ao Ministério da Agricultura avaliar protocolos de bem-estar animal

Via Redação | Publicado por Redação | às 08:40:26

​O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou na noite deste sábado (17) decreto que flexibiliza a legislação sobre rodeios no país.

O anúncio foi feito no estádio de rodeios do Parque do Peão de Barretos, durante a terceira noite da 64ª Festa do Peão de Boiadeiro.

Com o decreto, fica definido que compete ao Ministério da Agricultura avaliar os protocolos de bem-estar animal elaborados por entidades promotoras de rodeios e será possível a realização de provas hoje não disputadas em alguns rodeios.

Com o decreto, fica definido que compete ao Ministério da Agricultura avaliar os protocolos de bem-estar animal elaborados por entidades promotoras de rodeios e será possível a realização de provas hoje não disputadas em alguns rodeios.
“Ele [Bolsonaro] está mostrando que é possível fazer rodeio com 100% de boas práticas. Vai acabar com essa história de juízes bloquearem rodeios aos 47 [do segundo tempo]”, disse Ricardo Rocha, presidente de Os Independentes, associação que organiza a festa no interior paulista.

Em Barretos, por exemplo, uma lei municipal impedia a prova do laço, já não realizada na Festa do Peão desde meados da década passada, e a organização suspendeu a prova do bulldog após a morte de um bezerro, em 2011. Na prova, o bezerro é imobilizado pelo competidor.

Agora, a festa –e todas— poderá realizar as provas, desde que seguidas normas definidas pelo ministério. Isso não quer dizer que a associação Os Independentes fará a prova.

Bolsonaro afirmou que respeita todas as instituições, mas que deve lealdade ao público. “Esse momento em que tantos criticam as festas de peões ou as vaquejadas quero dizer que, com muito orgulho, estou com vocês. Para nós não existe o politicamente correto, faremos o que tem de ser feito”, disse, no que foi aplaudido pelo público presente ao local –não estava com as arquibancadas lotadas.

O presidente disse ainda que o meio ambiente “pode e vai casar com o desenvolvimento”. “Enquanto eu for presidente, o desenvolvimento estará acima de tudo. E dizer que, como tenho fé, tenho amor a vocês, eu farei aquilo que tem de ser feito.”
Após seu discurso, Bolsonaro deu duas voltas na arena montado num cavalo, ao lado do presidente da festa, Ricardo Rocha, e do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). A associação Os Independentes, que organiza a festa, separou 12 cavalos para que o presidente escolhesse o preferido para ser usado na arena.

Além de beneficiar os rodeios com o decreto, o setor ainda viu o deputado federal Capitão Augusto (PSL) anunciar o relançamento da frente parlamentar dos rodeios, vaquejadas e provas equestres de todo o país. A estimativa é que mais de 400 dos 645 municípios paulistas realizem montarias em touros.


A visita de Bolsonaro foi marcado por elogios do locutor Cuiabano Lima no palco do principal rodeio brasileiro. Um vídeo com elogios ao presidente foi exibido nos telões do estádio antes de sua entrada no palco.

Em um momento, a música “Eu te amo, meu Brasil”, da dupla Dom & Ravel, tida como um hino do regime militar, foi tocada durante a visita de Bolsonaro.

Bolsonaro, que entrou no estádio com um adesivo com o número 17 no peito (o mesmo usado em sua eleição) estava acompanhado dos ministros Augusto Heleno (Segurança Institucional), Wagner Rosário (Controladoria Geral da União e Tarcísio Freitas (Infraestrutura).

Para Cuiabano, foi o “maior momento do rodeio brasileiro em 64 anos de história”.

SAÚDE

Bolsonaro chegou em Barretos pouco após as 18h e foi visitar o Hospital de Amor – antigo Hospital de Câncer –, repetindo o que fez exatamente há um ano, quando foi ao local durante a campanha eleitoral presidencial.

No local, conheceu os serviços oferecidos e se deslocou para o parque, onde foi recebido no rancho Ponto de Pouso, que oferece a Queima do Alho – comida típica dos peões composta por arroz carreteiro, feijão gordo, paçoca de carne e churrasco, feita em fogões improvisados, próximos ao chão.

Foi o terceiro ano seguido de participação de Bolsonaro na Festa do Peão. Durante a campanha eleitoral, em 2018, ele também entrou na arena montado em um cavalo.

No ano anterior, ainda como deputado federal pelo PSC, defendeu os rodeios como manifestação cultural, criticou a legislação ambiental do país e aproveitou para criticar o total de famílias que eram beneficiadas pelo programa Bolsa Família.

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

Campanha