Publicidade

Anuncie
Capital

Alunos passam mal e suspeita é de intoxicação alimentar em escola

Nenhum funcionário quis comentar o caso porque as explicações nestas situações ficam sob a responsabilidade da assessoria de imprensa da SED

Via Redação | Publicado por Redação | às 05:07:28

Alunos da Escola Estadual Amélio de Carvalho Baís, no bairro Coophatrabalho, em Campo Grande, passaram mal na tarde de quarta-feira, dia 18 de setembro, e precisaram ser levados para postos de saúde. Dentre os sintomas relatados estão vômito e diarreia. Enquanto alguns pais e estudantes suspeitam de intoxicação alimentar a direção do colégio fala em problemas de saúde decorrentes do calor e falta de umidade.

Nenhum funcionário quis comentar o caso porque as explicações nestas situações ficam sob a responsabilidade da assessoria de imprensa da SED (Secretaria de Estado de Educação).

Um estudante, de 18 anos, matriculado no 3º Ano do Ensino Médio conversou com a equipe com a condição de não ser identificado. Segundo ele, alguns colegas estavam se sentindo mal há alguns dias, mas ontem a situação foi pior. “Teve gente reclamando de dor de cabeça, vários passaram mal. Tiveram vômito, diarreia”, comentou.

Para o estudante, a situação pode estar relacionada com a troca do bebedouro da unidade ou até mesmo com a merenda. Diferente de seus colegas, ele não costuma comer as refeições servidas na escola e acredita que não tenha passado mal por esse motivo.

Mãe e tia de estudantes do 2º e 3º ano e que também pediu para não ter a identidade divulgada contou que estava trabalhando quando o filho entrou em contato informando que não estava bem. “Quando ele chegou em casa estava com fortes dores de barriga, diarreia e muito mal estar. Ele estava suando frio e minha sobrinha também estava com os mesmos sintomas”, lembra.

Os dois foram levados pela família para a Upa Vila Almeida, onde o médico levantou a hipótese de infecção intestinal. A hipótese só vai ser confirmada após resultado de exames. “Eles saíram 2 horas do posto e meu filho ainda está tomando soro em casa”.

Um outra aluna, de 16 anos, foi afirma ter ficado aproximadamente por 3 horas sendo medicada em uma unidade de saúde após apresentar os sintomas. “Fui levada pelo SAMU, pois não conseguia andar normalmente por conta do mal estar e vômito. O médico disse que era uma intoxicação alimentar, algo que ingeri e me fez mal”, revelou.

Nesta quinta-feira, a direção da escola enviou comunicado sobre o horário de saída dos estudantes na sexta-feira (20). Eles terão aula somente no período matutino e serão dispensados às 11h35 “o motivo é a baixa umidade e alta temperatura em que os alunos ficam vulneráveis com relação a saúde”.

Em nota, a SED informou que “está ciente da situação apresentada na referida unidade e acompanha o caso, por intermédio da Coordenadoria de Gestão Escolar (Coges) e de Alimentação Escolar (Coale)”.

Ainda segundo a SED, todos os cuidados relacionados ao tratamento e armazenagem dos alimentos ofertados na merenda foram devidamente tomados e, recentemente, foram realizadas trocas de filtros dos bebedouros, bem como a higienização do reservatório de água da escola”, informaram.

Com informações Campo Grande News

Compartilhe esta matéria:

Google+
Tumblr
Pinterest

Publicidade

Campanha