Publicidade

Anuncie
Editorial

Alcina Reis - O Caos do odor

Publicado em às 05:34:33

Após entrevistar alguns vereadores da capital, pois nem todos acharam necessário dizer a população o que fizeram de seus mandatos da posse até o momento, já que não fizeram a entrevista, fomos de encontro com a população saber o que eles acham do desempenho dos parlamentares que elegeram.

Iniciamos na Região do Aero Rancho, onde é sabido que se encontra um dos maiores problemas da cidade referente ao Lixo, oriundo de administrações anteriores.

O Jardim Colorado é um dos 409 bairros da cidade de Campo Grande em Mato Grosso do Sul. Moradores antigos que ali estão desde o início do loteamento, sofrem devido aos sérios problemas que enfrentam por conta do mal cheiro, falta de esgoto e IPTU.

O mal cheiro atinge não só o Jardim Colorado mas a região toda. Não é exagero dos moradores, realmente é insuportável conviver com aquele problema. Segundo os moradores, essa situação que inicialmente foi gerada pelo Lixão no bairro Dom Antônio, agravou muito com a instalação de uma indústria de fertilizantes que saiu do Distrito Industrial e instalou-se aos fundos da unidade de tratamento de esgoto da Águas Guariroba.

Celso o Presidente do bairro disse já ter encaminhado vários ofícios com pedido de providências, pois os moradores tem sentido fortes dores de cabeça, ouvido e estômago. Além de afetar a saúde, eles também reclamam que os imóveis estão perdendo o valor porque ninguém quer morar ali, sem contar que é impossível sair para comer um lanche, almoçar ou jantar.

Virgínia que também atua junto a comunidade disse ter solicitado melhorias para o bairro na prefeitura, mas recebeu a negativa com a justificativa de que os moradores não pagam seus impostos.

O bairro segundo relatos, iniciou com favelas, as casas foram sendo construídas a medida que cada um foi conseguindo levantar cada parede e isso trouxe outro problema.

O IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), na gestão anterior tinha o valor em torno de R$40,00 (quarenta reais) e agora foram surpreendidos com cobrança que varia de R$700,00 até R$1.000,00 (hum mil reais). Ficando assim, devido a baixa renda, inadimplentes e convidados a fazer um Refiz.

Essas são as situações emergenciais daquela região, que o Conteúdo MS traz para a Câmara Municipal de Campo Grande e a Prefeitura avaliarem de que forma poderão ajudar aqueles moradores.

A situação precisa ser administrada com urgência, pois ali moram muitas famílias e antes que haja um desdobramento da situação com doenças mais sérias é preciso uma atenção especial.

“Quem cedo e bem aprende, tarde ou nunca esquece. Quem negligencia as manifestações de um eleitor, pode não mais a sua confiança ter”

Bora comigo!

Alcina Reis

Jornalista DRTMS1309

Publicidade

Anuncie