{description}

OAB/MS, MPF, MPE e PF reúnem-se para traçar plano de trabalho para eleições 2018

O presidente da Ordem, Mansour Karmouche destacou a presença, mais uma vez, da OAB/MS nas discussões sobre as eleições e a importância da parceria entre as entidades para combater a corrupção.

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul, do Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e da Polícia Federal reuniram-se na tarde de terça-feira (15) para traçar um plano de trabalho para as eleições 2018.

“Estamos contribuindo para a nossa sociedade para que nós tenhamos um processo eleitoral dentro das regras democráticas. Que a gente consiga evitar a corrupção tão alastrada nos últimos tempos. Nós como entidade maior do Brasil de profissionais liberais temos como obrigação unir esforços com essas entidades que fazem o controle, fiscalização e promovem ações contra aqueles que infringem a lei, mas também para que nós tenhamos realmente, de forma transparente, aqueles que irão nos representar, chegando a seus cargos de forma límpida e lícita”, disse.

O Procurador do Ministério Público Federal, Marcos Nassar revelou dados alarmantes em relação aos números da corrupção no Brasil.
 

“No ranking dos países menos corruptos do mundo, feito pela transparência internacional, o Brasil figurou a 96º posição, em 2017. Ele é considerado, portanto, nesse ranking mais corrupto que países como Timor Leste, Turquia, África do Sul, Cuba, Arábia Saudita, Luanda e Catar. A ONU estima que 5% do PIB mundial é desviado em decorrência da corrupção.
Esta estimativa no Brasil, considerando apenas o ano de 2017, representa R$ 330 bilhões de recursos desviados”, disse.
 

Marcos Nassar acrescentou que resolveu revelar esses dados em uma reunião sobre as eleições, porque ações de determinados candidatos em época de campanha eleitoral, pode revelar suas possíveis ações quando for eleito. “Um candidato desonesto, que hoje compra o voto do eleitor e pratica outros ilícitos eleitorais é o mesmo mandatário que amanhã, no exercício do mandato praticará o ato de corrupção”, explicou. 
 

Durante a reunião sobre o acompanhamento e fiscalização do processo eleitoral em 2018, foram debatidos como se dará a parceria entre os órgãos, a divulgação da campanha em Campo Grande e nas cidades do interior e o trabalho de conscientização do cidadão. 
 

Ao final da reunião, os representantes dos órgãos avaliaram de forma positiva o que foi discutido.  Para o procurado Marcos Nassar, a reunião foi produtiva.
 

“Conseguimos avançar na concretização da campanha com chamada de apoio de entidades e instituições que potencialmente podem contribuir com pessoal e financeiramente, para a campanha ir para a rua e para a internet. É uma iniciativa muito importante na linha das que vem sendo realizadas pela OAB, pelo MPF e MPE nas últimas eleições. A ideia é a conscientização das pessoas, acerca dos males que os ilícitos eleitorais produzem, principalmente a compra de votos”, destacou

 

O representante da Associação dos Juízes Federais de Mato Grosso do Sul, Clorisvaldo Rodrigues dos Santos parabenizou a inciativa da Ordem e reiterou a importância do combate a corrupção.
 

“Achei muito produtiva, realmente é uma bela iniciativa. Sabemos que a corrupção eleitoral é uma doença grave na nossa política, então ela deve ser combatida e para isso tem que haver um enfrentamento. Ações como esta visam enfrentar esse problema e eu acredito que com o somatório de ações de todas as instituições, nós vamos conseguir alcançar o objetivo desejado”, salientou.
 

O Delegado da Polícia Federal Fernando Rocha Rodrigues da Silva também parabenizou a iniciativa da Ordem e dos Ministérios Estaduais e Federais em trazer para a sociedade esse tipo de campanha. “É muito importante por que visa combater e reprimir a corrupção para que tenhamos uma eleição limpa”.
 

Por sua vez, o Procurador do Ministério Público Estadual Antônio Siufi Neto, Coordenador Eleitoral das promotorias eleitorais de MS, explicou que a campanha procurará conscientizar o eleitor sobre suas responsabilidades nas urnas e as eventuais consequências de suas escolhas.
 

“Essa campanha dará ao cidadão uma melhor condição dele entender o caráter do projeto eleitoral, da vida social e das consequências do seu voto, por que isso implica no seu futuro a eventual decisão que ele tiver nas urnas no próximo pleito”, explicou. 
 

Estiveram presentes na reunião a Presidente da Comissão Provisória da OAB/MS nas eleições 2018, Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas; a Presidente da Comissão de Segurança Pública, Claudia Elaine Novaes Assumpção ; o Secretário-Geral Adjunto, Vinícius Monteiro Paiva; Marcelo Henrique de Mattos e o Advogado Felipe Luiz Tonini,  representando a Grande Loja Maçônica; Jorge Tadeu Matela e Almeida, representando o CREA/MS; Edimar Soares Silva representando a Associação de Cabos e Soldados da Polícia e Bombeiro Militar de MS; Luiz Carlos Batista, representando o Sinpol; Iara Sônia Marchioretto, Presidente do CRC; Rodrigo Vascoleos Braga, representando a Adepol; Inês da Silva Felix, representando a UFMS; Pablo de Barros e Rubens Soares de França, representando o Sindifiscal; Milton Mariane, representando a ADUFMS; e Otavio Jacques, representando a OSCG.