{description}

Bancários de todo o país entrarão em greve na segunda-feira

Segundo o sindicato, 88% dos bancários votaram por participar de paralisação

A Contraf-CUT convoca os bancários de todo o Brasil a aderirem, na próxima segunda-feira (19), ao Dia Nacional de Luta, em nova etapa da mobilização contra a proposta do governo Temer de "reforma" da Previdência Social. A data foi definida pelas centrais sindicais. 

A proposta de reforma da Previdência (PEC 287-A), que prejudica trabalhadores e trabalhadoras e beneficia empresários e banqueiros, está prevista para ser votada no Congresso Nacional na próxima segunda-feira, dia 19. Os sindicalistas criticam o que chamam de "campanha enganosa" do governo em relação ao tema. 

“A Contraf-CUT, federações e sindicatos associados convocam os bancários a aderir às paralisações e protestos contra a reforma da Previdência que, na verdade, é uma proposta para acabar com a aposentadoria. O governo está gastando bilhões com propaganda para ludibriar os brasileiros e pressionar deputados e senadores a aprovar a reforma. Ouvimos manifestações no Carnaval, nos movimentos sociais, nas ruas. O povo não quer essa reforma. Junte-se a nós e diga não ao fim da aposentadoria”,

convidou Roberto von der Osten, presidente da Contraf-CUT. 

Para Juvandia Moreira, vice-presidenta da Contraf-CUT, “é fundamental que a categoria participe e fortaleça a luta. Vai ter paralisação e atos no Brasil inteiro. Os bancários e bancárias têm realizado assembleias nos locais de trabalho, aprovando paralisação que é da classe trabalhadora, da sociedade inteira, e a gente tem que lutar, tem que resistir, pois já perdemos direitos com a Reforma Trabalhista, que vai jogar a população na precarização e agora eles querem tirar o direito de aposentar. Por isso, é fundamental a participação de toda a categoria. Dia 19 é dia de luta e a gente conta com você!” 

Os bancários de São Paulo, Osasco e região decidiram nesta sexta-feira, 16, aderir à paralisação de segunda-feira, dia 19, em protesto contra as reformas da Previdência e Trabalhistas propostas pelo governo Temer.

Em Mato Grosso do Sul ainda não tivemos a confirmação da paralização, apenas que haverão atos de protestos.

Segundo o sindicato, 88% dos bancários votaram pela paralisação das atividades e serviços em todo o Brasil. A votação foi feita durante assembleias realizadas nos dias 8, 9, 14 e 15 em agências e centros administrativos dos bancos.

Está marcado para segunda-feira também um ato na Avenida Paulista, no fim da tarde, que reunirá movimentos sociais. A concentração começa às 16h, no vão livre do Masp.

 

Fonte: Contraf-CUT