{description}

Apoiado por Reinaldo e Odilon, Bolsonaro decide ficar neutro no 2º turno em MS

Jair Bolsonaro, que lidera as pesquisas no segundo turno, deve ficar neutro em praticamente todos os estados brasileiros no segundo turno

Cortejado pelos candidatos a governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e juiz Odilon de Oliveira, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) decidiu ficar neutro no segundo turno em Mato Grosso do Sul. No primeiro turno, o ex-capitão obteve 55,06% dos votos válidos no Estado, contra 23,87% do petista Fernando Haddad.

A decisão de Bolsonaro frustra, mais uma vez, a estratégia do tucano, que foi o primeiro a anunciar apoio ao candidato do PSL. Logo após a apuração, Reinaldo destacou que o PSL integrava a sua coligação.

No primeiro turno, ao constatar o amplo apoio de Bolsonaro, o tucano já não insistia em pedir votos para o candidato a presidente do seu partido, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckimin (PSDB).

O juiz Odilon contrariou o PDT nacional, que optou por apoio crítico a Haddad, e anunciou, na reunião com os líderes do MDB, apoio à candidatura de Bolsonaro. Ele também não seguiu o conselho do presidente regional da sigla, o deputado federal reeleito Dagoberto Nogueira, que defendeu neutralidade no segundo turno.

Com a decisão de não ficar neutro, Odilon impediu que Bolsonaro pedisse votos para o adversário na disputa. No entanto, o pedetista corre o risco de perder os eleitores de Humberto Amaducci (PT), que ficou em 4º lugar e conquistou 132 mil votos no primeiro turno.

De acordo com o presidente de honra do PSL, Luciano Bivar, como recebeu apoio dos dois candidatos a governador, Bolsonaro vai ficar neutro no Estado e o eleitor terá liberdade de escolher entre Odilon e Reinaldo.

A decisão de Bolsonaro será seguida pela nova senadora, Soraya Thronicke, que foi a autora de um pedidos de impeachment de Reinaldo. Ela e o suplente, o advogado Danny Fabrício, ingressaram com ação na Justiça no ano passado contra o governador e a JBS.

A propaganda eleitoral do segundo turno começa nesta sexta-feira e a votação vai ocorrer no último domingo de outubro. Odilon e Reinaldo devem participar de dois debates, no Midiamax e na TV Morena.